«

»

Classificação dos óleos lubrificantes – parte 1

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on TumblrShare on LinkedInPin on Pinterest

Os óleos lubrificantes são classificados por três normas: SAE, API e ASTM.

SAE: Society of Automotive Engineers (Associação dos Engenheiros Automotivos)- define a classificação do lubrificante conforme a necessidade, normalmente está relacionada a viscosidade do óleo.

API: American Petroleum Institute (Instituto Americano de Petróleo)- desenvolve a linguagem para o consumidor em termos de serviços dos óleos lubrificantes.

ASTM: American Society for Testing of Materials (Associação Americana para Prova de Materiais)- Define os métodos de ensaios e limites de desempenho do lubrificante.

 

Nos EUA, a SAE, API e ASTM constituem o grupo trino responsável por especificações aceitas pelas indústrias. Solicitações para novas classificações ou revisões das já existentes são enviadas pelo Comitê Técnico de Lubrificantes e Combustíveis do SAE, que estabelece um grupo-tarefa para estudar a proposta.

Se o grupo-tarefa concorda que uma nova categoria seja necessária, faz-se uma solicitação oficial a ASTM para desenvolver ou selecionar as técnicas de ensaio necessárias. A tarefa do API é a de desenvolver a linguagem usada para comunicar ao usuário a nova categoria.

 

:: Classificação quanto a viscosidade

Quando um fluido muda do estado de repouso para o de movimento, ocorre uma resistência ao fluir, devido ao atrito interno do mesmo. A viscosidade é uma medida desse atrito interno. Para se medir a viscosidade do lubrificante existem diversas técnicas.

Sua classificação se dá pela norma SAE seguido por números com dois algarismos (para lubrificantes de motores a explosão). Quanto maior for esse número, maior será a viscosidade do óleo. Em termos mais vulgar, digamos “mais grosso”. Assim temos: SAE 5, SAE 10, SAE 20, SAE 30, SAE 40, etc. Esses lubrificantes também são chamados de monograu ou monoviscoso, pois, independente da temperatura, sempre terá seu valor ao indicado.

Temos também os óleos multigrau ou multiviscosos. Esses óleos possuem dois números, sendo o primeiro acompanhado pela letra W (winner) que significa inverno em inglês, lembrando baixas temperaturas. Sendo assim, sua viscosidade pode variar de acordo com a temperatura, atendendo melhor o motor. Ex: SAE 20W 40, SAE 20W 50, etc.

 

:: Classificação quanto ao serviço

A norma API classifica o óleo lubrificante quanto ao serviço prestado por eles (motores que atendem). Sua classificação se dá sempre pela sigla API seguida da letra S (service) e outra que vai de A até L atualmente. Quanto mais avançado for a segundo letra, melhor é o lubrificante em termos de serviço, ou seja, atendem a todos os motores fabricados até hoje. Ex: API SA, SB, SC, SD, SE, SF, SG, SH, SI, SJ e SL.

Os óleos SA não possuem aditivação e atendem apenas aos motores muito antigos, fabricados antes da década de 50. Os óleos SL são indicados a todos os motores fabricados até hoje. Lembre-se, quanto maior o avanço da segunda letra, mais caro é o óleo.

Se você tem um carro da década de 80 por exemplo, não necessita utilizar óleos SJ ou SL. Logicamente não trarão problemas, mas seria como se quisesse colocar uma tachinha com uma marreta. Veja abaixo algumas das classificações:

SF: De 1980 a 1989;
SG: De 1989 a 1994;
SH: De 1994 a 1996;
SI: De 1996 a 1998;
SJ: De 1998 a 2000;
SL: De 2000 aos dias atuais.

Muitos dos óleos recomendados para motores até 1996 já não estão mais a venda, sendo necessário substituir pela categoria superior.

Essa classificação somente é válida para os motores a álcool e a gasolina. Motores diesel são classificados pela sigla API + C + A a F.

 Continue lendo este post em: Classificação dos óleos lubrificantes – parte 2

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on TumblrShare on LinkedInPin on Pinterest

9 comentários

  1. Brenno disse:

    Ótimo artigo.
    Só uma correção: Winter(inverno) no lugar de Winner(“vencedor”)

  2. Hugo disse:

    Bom dia , Meu colégio esta pedindo para eu fazer um trabalho sobre “Normas ASTM – SAE – API para lubrificantes” Queria saber se você podem me explicar melhor .

  3. Raphael disse:

    Olá gostaria de saber se existem tabelas das normas API, SAE e ISO e se vcê poderia me enviar essas tabelas por e-mail.
    Obrigado.

  4. gilberto disse:

    quero saber se oleo com classificaçao sc para motor diesel tem boa adtivaçao?
    obrigado.

  5. carlos alberto franchi disse:

    gostei muito e foi bastante oportuno já que vou começar a vender uma linha de óleos.

    Se possivel, gostaria que indicasse algum artigo para óleos industriais e fluidos de freio bem como de arrefecimento. Grato

  6. Alex William vilhena Cardoso disse:

    Vendo óleo lubrificantes da Petrobrás a muito tempo desde a época do escândalo mensalao vendia o sj, sl o semi-sintetico. Vendia também sae 40 em balde de 20 litros sou conhecedor dessa marca lubrax Petrobrás mas o meu sonho e fazer um curso me reciclando mais e mais e ter um embasamento teórico e um comprovante ou um certificado de curso e um suporte para me respaldar mais sobre esse produto que já foi amenina dos meus olhos sempre comprei mas sempre de terceiros queria ter a oportunidade de comprar direto poder distribuidor distribuir para novos revendedores para clientes finais e trocar também vender em todos os níveis de negociações tanto direto indireto e final ou seja em todos as esferas preciso dessa auditoria.em 2008 comprava óleo da força nova SA e na época eu vendia muito eles viera aqui em abaetetuba fizeram uma visita aprovaram um cadstro ia me dar três elevadores e o suporte para eu trabalhar so com óleo Petrobrás eu aceitei falaram q ia chegar tanto os produtos quanto as ferramentas em prazo de três semanas mas infelizmente depois de uma semana estourou o caso do mensalao e q essa empresa (FOrça nova SA) estava envolvida e eu nao estava sabendo de nada passadas três semanas eu fui no escritório da empresa em ananindeua para na br 316 e estava fechado até hoje nao sei como ficou mas ainda compro mas eu compro de terceiros compro da Só filtro tecfil mas ela nao da suporte nenhum e estou escrevendo pois o meu projeto e esse que citei e ainda tenho esperança de dar tudo certo Hoje tenho três elevadores para subir e descrição automóveis e espero contar com a compreensão de vcs

  7. RENATO SARACHIM disse:

    BOM DIA. TODOS CONSUMIDORES DEVERIAM LER ESSA MATÉRIA, CLARA E OBJETIVA.

  8. CARLOS ALBERTO disse:

    Gostaria de saber se posso usar óleo categoria API SL (SELENIA) no motor da minha Frontier (diesel) 2.5 ano 2012.

    Obrigado

  9. andre tadeu tanure correa disse:

    Boa tarde! Tenho um motor ano 86, opala turbo com 350 cv deveria usar o óleo recomendado pelo manual API SE ou Sf 20w50 ??? Por favor me informe qual óleo usar obrigado. Fico no aguardo!!!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>