,

Hyundai Veloster Turbo 2017 – Resenha sobre o primeiro teste

Força na estranheza.

Estamos mimados nas escolhas quando se trata de compactos esportivos hoje em dia, com velhos confiáveis como o Volkswagen Golf GTI e o Subaru WRX, assim como novatos como o Hyundai Elantra Sport, o Nissan Sentra NISMO e, em breve, um novo Honda Civic Si a turbo. Com tanta variedade de compactos atrativos e aconchegantes no mercado, se destacar pode ser um problema para alguns modelos, porém não para o Hyindai Veloster Turbo.

O peculiar hatchback de três portas está chegando lá no alto depois de anos. O Veloster base foi as vendas pela primeira vez no modelo 2013 e logo depois aquele modelo turbo chegou com potência suficiente para se equiparar ao visual de corrida do carro. O Veloster Turbo continua usando um 1.6 litro a turbo I-4 que produz 201 cavalos e 195 lb-ft de torque, vindo pareado tanto com uma marcha manual de seis velocidades ou uma de sete velocidades com transmissão de dupla embreagem. Mesmo cinco anos depois, o visual do Veloster ainda chama e polariza atenção, especialmente em seu tom laranja queimado de vitamina C, cor na qual nosso carro de teste foi finalizado.

O interior do nosso carro combinava com o exterior, com seu couro preto nos bancos e detalhes laranja. A cabine coordenada por cores dá um sentimento de algo especial e a posição baixa dos assentos reforça a identidade esportiva do veículo. Muitos dos materiais são gostosos de tocar, com plásticos descentes usados em painel e portas. O encosto dos braços no painel da porta tem um acolchoado excelente, entretanto eu gostaria que o console central do encosto fosse equiparado em conforto. Apesar de uma janela traseira dividida, a visibilidade é boa em todas as partes do carro.

Turbinado: Conheça o Novo Hyundai Veloster 2017 Turbinado

O Veloster Turbo é divertido de dirigir na cidade. O câmbio manual é prazeroso no passar de marchas e é fácil de aprender o tempo da embreagem convivendo com o trafego. A potência do turbo vem rapidamente e não afunda quando você troca de marcha. O pico da potência (cavalos) chega por volta dos 6.000 rpm e o pico do torque está disponível desde 1750 até 4500 rpm, te dando uma gama de força muito útil com a qual se trabalhar. O andar não é ruim na estrada, porem o barulho do vendo e da estrada penetram na cabine. O barulho do motor é baixo e ele ronca, porém não zumbi. Andando em solo rustico, a suspensão transmite muita vibração para cabine.

Nos testes o Veloster foi mais aconchegante que excitante. Da última vez que testamos o carro, em 2012, encontramos um trepidar nas rodas enquanto acelerávamos e esse ainda é o caso em 2017. O Hyundai turbinado fez 0-60 mph em 7.3 segundos e completou um quarto de milha em 15.5 segundos a 90.7mph. Ambos os resultados são mais lentos que o ultimo Veloster Turbo testado, também é mais lento que os competidores. Um Volkswagen Golf GTI 2015 com seis marchas manuais e uma base de 210 cavalos, 2.0 litros num motor a turbo quatro cilindros, fez 0-60 mph em 5,9 segundos e acabou o quarto de milha em 14,5 segundos. O Honda Civic Si 2014 com seis marchas manuais e 205 hp 2.4 litros I-4 aspirado naturalmente bateu 60 mph em 6.5 segundos e fez 15 segundos cravados no quarto de milha, estando a 93.5 mph. Um Ford Focus 2015 ST, com 252 cavalos, 2 litros turbo e seis marchas manuais acelerou até 60 mph em 6,3 segundos, completando o ¼ de milha no tempo de 14,8 segundos a 94,3 mph.

O Veloster Turbo demorou 27,2 segundos para completar nosso percurso em 8, comparado aos 25,2 do Focus ST, 26,1 do GTI e 26,9 do Civic Si. Ainda que o Veloster não tenha brilhado nos testes, a experiência por tras do volante não foi ruim. O diretor de testes, Kim Reynolds, elogiou a versão hatch por ter sido ágil e divertida no percurso. O chassi oferece manejo decente até no limite, porem os pneus quatro estações da Kumho Solus não combinam muito bem com a personalidade esporte do carro. Numa esticada particularmente divertida na Mullholland Drive, eu tive mais chiado de pneu que o normal. Ainda assim eu gosto do carro, porem os pneus e o som nada inspirador que sai deles quando eu forcei o carro abafaram minha diversão.

Com tudo isso em mente, escolheria eu o Veloster Turbo com nosso preço testado de $26.260? Pessoalmente, eu gastaria mais para comprar um GTI ou Focus ST igualmente equipado. Contudo, existe algo no visual maneiro e não-ortodoxo do Veloster, com suas três portas, que tem apelo comigo. Os grandes faróis e traseira curvilínea demandam atenção, seja positiva ou negativa, e seu layout com três portas ainda recebe comentários mesmo depois de cinco anos do lançamento. Para aqueles que querem algo mais convencional, a Hyundai também oferece o Elantra Sport Sedan e o Elantra GT Sport Hatchback, que usam um motor similar de 201 cavalos com quatro cilintros turbo, porem andando com um chassi mais novo. Essas opções soam ter mais frescor e mais praticidade, porém, para o comprador de carros esportivos compactos que quer algo um pouco diferente, o Veloster Turbo é praticamente a única opção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *