,

Indicador de combustível

Nos veículos mais antigos ou até mesmo em modelos considerados populares, o indicador de nível de combustível é feito por meio de um relógio indicador acionado por um cabo que fica interligado num elemento flutuante no interior do tanque. Isso simplifica bastante a construção e também o seu custo.

A grande maioria dos automóveis possuem indicadores elétricos, que está disposto no conjunto de instrumentos do veículo.

O indicador elétrico também depende de um elemento flutuante no interior do tanque, só que ao invés de de possuir um cabo interligando o indicador à bóia, utiliza-se um chicote elétrico.

A grande vantagem desse sistema é a possibilidade de passar o fio em qualquer lugar do veículo, coisa pouco provável num cabo devido a sua mobilidade para acionar o indicador.

No indicador elétrico, normalmente não é marcado a quantidade de combustível se a ignição não estiver ligado.

Vamos deixar de conversa e ver como funciona esse equipamento.

Para podermos entender, observe o esquema abaixo:

No circuito, temos uma bateria de 12 volts alimentando dois resistores em série de 1KW cada. Como os dois resistores possuem o mesmo valor, a tensão em cada um se divide por igual, ou seja, cada um terá uma queda de tensão de 6 volts. Vamos ver na prática porque isso ocorre.

A intensidade da corrente é determinada pela tensão do circuito (12V) divido pela resistência total (2K). Assim, teremos: 12 / 2 = 6mA (na realidade se divide 12 por 2000 ohms cujo resultado é 0,006A ou 6mA)

Sabemos que a tensão é o produto da corrente pela resistência. Para determinar a tensão em cada resistor, basta multiplicar a corrente pelo valor do resistor. Temos então para R1: 6mA x 1K = 6V. Como o outro resistor é de igual valor, a queda de tensão em R2 será o mesmo de R1.

Vejamos agora o que irá acontecer no circuito se trocarmos o segundo resistor por um de 2KW.

Com o aumento da resistência de R2, a resistência total do circuito passou a ser de 3K (1K + 2K). Assim, a intensidade da corrente passa a ser: 12V / 3K = 4mA.

Multiplicando-se a corrente pelas resistências teremos:

VR1 = 4mA x 1K
VR1 = 4V

VR2 = 4mA x 2K
VR2 = 8V

Toda vez que temos resistores ligados em série, a tensão irá se dividir no circuito. A soma das quedas de tensão deverá ser sempre igual a tensão fornecida, no caso, 4V + 8V = 12V

Chegamos então a seguinte conclusão: Toda vez que houver uma variação nas resistências, ambas sofrerão modificações na sua queda de tensão. Neste caso, se substituirmos R2 por uma resistência variável (potenciômetro linear ou reostato), teremos uma variação constante nas quedas de tensão de acordo com o valor do potenciômetro.

Com o potenciômetro valendo 5K, a resistência total será de 6K, reduzindo a corrente para 2mA. Basta multiplicar a corrente pelos resistores para saber a tensão em cada um deles.

Veja a figura a seguir: Estamos utilizando um voltímetro para monitorar a tensão no resistor fixo (R1).

O valor encontrado em R1 é de 7,5V. Você saberia dizer o valor de R2? Se respondeu 4,5V acertou.

Como a tensão da bateria nunca fica exatamente em 12V, utilizadores no circuito um regulador / estabilizador de tensão. Esse componente irá ajustar a tensão para 9V, por exemplo:

O circuito ficará assim: 9V / 5K = 1,8mA. Multiplicando essa corrente por 3K teremos 5,4V no resistor fixo e 3,6V no potenciômetro.

Com o regulador, não importa se a tensão de entrada for 12, 12,5 ou 13 volts. A saída para o circuito sempre estará estabilizada em 9V.

Neste momento, você deverá estar imaginando: “Esse cara é louco! Disse que ia explicar sobre o funcionamento do indicador de combustível e está dando uma aula de eletricidade!”. Calma pessoal, o Adilson aqui não está batendo os pinos, bom, pelo menos por enquanto. Nas próximas páginas você irá entender o porque de toda essa explicação.

Bom, está na hora de vermos o circuito completo do indicador de combustível.

O circuito acima parece algo familiar caros amigos? Creio que agora você deva estar entendendo o porque da aula de eletricidade não é mesmo?

No circuito do indicador, o relógio indicador de nível nada mais é que um voltímetro (medidor de tensão) analógico que fica monitorando a tensão no resistor fixo. Apenas sua escala em volts é substituído pela escala em litros.

O flutuador (bóia) fica posicionado no interior do tanque de combustível. Quando o nível está baixo, a bóia desce acompanhando o nível do líquido. Ao enchermos o tanque, a bóia irá subir.

O movimento de descida e subida da bóia faz com com seu eixo se movimente. Neste eixo está interligado uma haste metálica (cursor do potenciômetro), o qual se desloca sobre uma trilha resistiva. De acordo com o movimento do cursor sobre a trilha, a resistência elétrica aumenta ou diminui.

Quando o tanque estiver próximo da reserva, a bóia estará baixa. A resistência do potenciômetro será alta, assim como a sua queda de tensão. Como a tensão no potenciômetro será baixa, a do resistor fixo que está sendo monitorado pelo voltímetro indicador, será baixa. Neste caso, o ponteiro quase não se move, indicando uma tensão muito baixa.

Ao completarmos o tanque, a bóia irá subir, diminuindo a resistência elétrica do potenciômetro assim como a sua queda de tensão. Uma vez que a tensão no potenciômetro será baixa, no resistor fixo será alta. Neste caso, o ponteiro do indicador se movimentará para a posição “cheio”. indicador elétrico também depende de um elemento flutuante no interior do tanque, só que ao invés de de possuir um cabo interligando o indicador à bóia, utiliza-se um chicote elétrico.

A grande vantagem desse sistema é a possibilidade de passar o fio em qualquer lugar do veículo, coisa pouco provável num cabo devido a sua mobilidade para acionar o indicador.

No indicador elétrico, normalmente não é marcado a quantidade de combustível se a ignição não estiver ligado.

O indicador elétrico também depende de um elemento flutuante no interior do tanque, só que ao invés de de possuir um cabo interligando o indicador à bóia, utiliza-se um chicote elétrico.A grande vantagem desse sistema é a possibilidade de passar o fio em qualquer lugar do veículo, coisa pouco provável num cabo devido a sua mobilidade para acionar o indicador.

No indicador elétrico, normalmente não é marcado a quantidade de combustível se a ignição não estiver ligado.

15 Comments

Leave a Reply
  1. Amigo meu ponteiro se move com o carro com 1/4 de combustível, acende a luz de reserva e isso me deixa aflito. O que pode ter ocorido, o mecânico disse que o problema pode estar no ponteiro, ah algo que se possa fazer? Ou nesses casos só outro marcador novo.

    Atenciosamente,

    Jota Rosário

  2. Troquei o flange da bomba de gasolina do celta ano 2000,conequitei tudo certo dei na partida varias vezes e o carro não funciona. O que eu faço , peço uma ajuda por favor.

  3. interessante esta matéria. sofri muito para arrumar este marcador do renault 19 depois de um dia inteiro desmontando o painel etc… cheguei a conclusão que há um relê próximo a caixa de fusivel que enterrompe a voltagem para a boia. ele alimenta a bóia e faz acender a luz reseva no painel. foi sufoco!

  4. Prezados, tenho um Palio Weekend 2005 1.3 flex…e recentemente troquei o refil da bomba de gasolina….só que o meu ponteiro no marcador parece “caido” quando viro a chave do motor sem ligar….pois o monteiro fica muito abaixo da ultima marca de combustivel….acredito que esteja errado pois anteriormente a essa troca, o nivel de combustivel ao entrar na reserva acendia a luz amarela no painel…e agora não esta fazendo isso, entendo que não esta marcando direito e acaba tendo mais combustivel que o painel me mostra……..o que deve fazer para acertar isso ?

  5. meu marcador de combustivel quando liga sobe como o tanque estivesse cheio nao marca quantidade correta ipanema 92 aguardo retorno obrigado meu uma dica obrigado

  6. oi meu carro e uma estrada 2000 toda manhã quando ligo o carro o ponteiro do combustivel fica subindo e descendo depois normaliza oq deve ser isso me ajude .

  7. comprei um renault r19 ano 94 queria saber se esse modelo vem com alarme de fabrica e as travas eletricas sao so mesmo nas portas dianteiras e porta malas obrigada por tirar minha duvida

  8. Tenho um sandeiro 2008 1.6 8v com GNV instalado a 1 ano.
    Meu carro está com a luz da reserva acessa no painel, já troquei a boia com sensor de combustivel rodei 1 dia e voltou a dar problemas já tentei reprogramar deixando o conjunto da bomba fora do tanque e acionando a chave durante 30 segundos e não resolvel, já dei um reset retirando o cabo negativo da bateria e esperando por alguns minutos e nada. Observei que na estrada quando passo para a gasolina as vezes ele demora entrar, fica falhando e a noite quando paro o carro na ladeira quando vou ligar ele não pega na gasolina tenho que colocar no GNV e acelerar.
    Não sei o que fazer.

  9. Meu corsa quando e dada a partida na ignição o ponteiro de combustivel se ele se encontra no meio ele da uma oscilada até a reserva e volta normal ,pode me dar uma dica o que seria

  10. Bom dia, adorei a matéria. foi muito esclarecedor. tenho uma sistema que indica o nível do combustível através de um rastreador. testei nos carros da GM e em um Azera e funcionou perfeitamente.
    Porem no Gol não sucesso. Já tentei em 3 veículos diferentes e nada.
    Não existe tensão nos fios da boia.
    Poderia me dizer se eles utilizam um outro sistema? seria que passa milivolts?

    Aguardo seu retorno e obrigado pela atenção.

  11. tenho um subaru forester de 1998 e o indicador de combustível não funciona. já experimentei abrir o tanque de combustível para verificar a bóia mas descobri que não percebo nada daquilo.
    peço ajuda. o que faço para dar uma reparada?

    aguardo retorno

    obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *