, , ,

Melhores sedan compactos de 2017 Part2

4 – Volkswagen Jetta 2017 ($22.815), 645 pontos.

O veredito: O Jetta compensa suas faltas com muita praticidade e dirigibilidade. É uma escolha sólida no geral” declarou Mays.

Do que eles gostaram

Vivacidade: Não deixe o motor diminuto de 1.4 litros enganar você. “O motor turbo do Jetta, com suas 184 libras-pé de torque, o melhor do grupo, provem uma potência gratificante em todas as situações em que os compactos quase conseguem, quase: estradas acidentadas, ultrapassagens na estrada, dirigir com passageiros, você escolhe. Aonde outros penam, a VW prevalece” afirmou Mays. Meier fez o adendo “ O Jetta turbo 1.4 é forte e com vontade, com seu torque baixo surpreendente para seu tamanho”

Espaço no porta-malas: Ficou claro que o tamanho do Jetta foi um passo a frente dos outros, após ficarem mexendo na área do porta malas: “O porta-malas bem desenhado tem uma tampa que sobe até em cima e oferece mais espaço, tanto através da dobragem quando da partição dos bancos. ” Meier disse. O Mays notou, “O porta-malas de 15.7 pés cúbicos do Jetta bate habilmente seus rivais, em alguns casos, consideravelmente. Também é o único carro em que, o banco que se divide e se dobra, também tem uma passagem pelo meio.

Manejo: Talvez o mais surpreendente seja como o Jetta dominou as sinuosas estradas secundarias. “O Jetta parece estar grudado na estrada e sua direção é cristalina” Meier airmou. Ele continuou, “O Mazda3 deveria observar a retaguarda para adereços de manejo. ”

Pintura: A pintura branca prateada metálica foi bem fora da caixa para um carro compacto, impressionando Mary. “A cor da tinta é bem legal, é branco quando você está longe e conforme vai chegando perto, é meio azul. É um aspecto que eleva. “

Do que eles não gostaram

Pneus: “Por todo seu potencial de direção, nosso Jetta foi ludibriado por seus pneus da Bridgestone Ecopia como orientação para eficiência. Jogue o carro por ai e ele tem totalmente a tração de um skate” declarou Mays.

Qualidade interior: “Com várias faixar de plástico duro nas portas e no painel, o interior é bem espartano” disse Hanley.

Câmbio: Para todo o lado visceral do motor, temos um câmbio molão tentando estragar a diversão. “As seis marchas automáticas são positivas, porem conseguia ser surpreendentemente duro e pouco refinado nas descidas de marcha”. Hanley adicionou a fala de Meier, “O câmbio automático as vezes faz trocas abruptas”

3 – Subaru Impreza 2017 ($22.519), 653 pontos.

O veredíto: “A força do Impreza vai além de seu AWD, porem seu sistema de transmissão apertado e falta de tecnologia visando segurança em nosso carro empalideceu seu apelo” disse Mays.

Do que eles gostaram

Encaixe do banco das crianças: Cada carro do nosso teste vinha com assentos para as crianças e ganhavam uma nota baseada na facilidade de instalação. “O Impreza passou em nosso teste com cores vibrantes, o que é muito difícil nessa classe” afirmou Mays.

Visibilidade: A visibilidade varia grandemente nos sedans e o Impreza estava numa classe só dele com suas altíssimas notas de visibilidade, “Os pilares do teto frontal não bloqueam a visão nas curvas como eles fazem em outros carros nessa comparação” declarou Hanley. J.D também disse “Eu estou impressionado com seu campo de visão”

Tração nas quatro rodas: Talvez o maior diferenciador, mais até que a visibilidade, é a direção padrão AWD do Impreza. “Você ganha a segurança do AWD pelo preço normal. Por isso eu digo, tente encontrar algo assim pelo preço normal em qualquer outro sedan compacto” discursou Meier.

Conforto: “O novo Impreza realmente aumentou o nível do jogo com um interior muito mais quieto e andar suave”, palavras do Meier. O andar silencioso também não passou despercebido por J.D, que declarou “Você pode entrar no Subaru e basicamente ter silêncio total”. Sendo um viajante que está constantemente na estrada, ele fez o adendo, “Eu adoraria fazer uma viagem longa com esse carro”

O que eles não gostaram

Estabilidade na estrada: “O Impreza não parece assentado em velocidades de rodovia. Eu ficava constantemente fazendo pequenas correções no volante para continuar no curso” Hanley disse.

Mobília: “Nosso carro de teste demonstrou alguns lapsos óbvios de qualidade no painel” Meier falou, referindo-se aos painéis no exterior da carroceria, que não era muito bem alinhados, incluindo o capo e a porta do porta-malas.

Lentidão: “O AWD é um grande diferencial, porem faz do Impreza o carro mais pesado do grupo, e a verdade é que o sistema de transmissão pena para supera-lo. É necessário paciência para ultrapassar o trafego mais lento e, geralmente, você é o trafego mais lento” articulou Mays.

2 – Kia Forte 2017 ($21.540), 674 pontos

O veredito: “Uma cabine bem equilibrada e alguns itens de alta tecnologia fazem do Forte uma opção atraente, porem pule a suspensão com viés esportivo” disse Mays.

Do que eles gostaram.

Itens de segurança: “Nosso Forte tirou de letra as categorias de segurança com sua grande gama de opções em segurança ativa, incluindo um raro sistema de centralização na pista”, discursou Mays. Essa foi a primeira vez que a compradora de mercado Mary usou os auxiliares de faixa? “Um dos itens eu nunca havia pensado sobre é o assistente de faixa. Isso provavelmente me ajudaria. Ele estava fazendo pequenas correções para mim. É meio estranho, porem agora que eu me acostumei, é até que legal”

Toques de luxo: O Forte une sua gama de itens avançados de segurança com itens inesperados para a classe. “Dois itens muito uteis – um porta malas que não carece do uso das mãos e retrovisores elétricos – distinguiram nosso carro de teste. Você geralmente tem que subir uma ou duas classes para encontra-los” falou Mays.

Espaço: “Motoristas altos vão amar o interior espaçoso do Forte; seu console baixo permite a você se espalhar” declarou Mays.

Layout centrado no motorista: “O painel estiloso, o display angular e volante em couro oferecem a configuração mais centrada no motorista dentro do Desafio” discursou Mays.

O que eles não gostaram.

Qualidade do andar: Como o modelo testado, Forte S, veio com uma suspensão esportiva que destroem o andar, isso abaixo as notas do carro no quesito. “A opção de suspensão visando um sentimento mais esportivo no nosso carro dava pauladas quando passava em buracos, com um nível de dureza que outros filtram” Mays afirmou, completando “Ainda dá para conviver, mas incomoda de tão desconfortável”. Meier concordou: “Esse modelo de suspensão entrega um andar abafado, instável sem prover uma recompensa a proeza de manejar”

Itens de segurança ativos demais: “Você consegue senti o sistema de auxilio de faixa trabalhando contra suas mãos – mesmo quando você está bem no meio da faixa” desabafou Hanley.

Conforto no banco da frente: Em adição ao andar denegrindo o conforto, Meier colocou “Os bancos frontais tem acolchoado muito fino e são muito fracos em reforço lateral. Não é a minha escolha para viagens longas.

1 – Honda Civic 2017 ($22,975), 724 pontos.

Veredito: “O Civic aparenta e dá a impressão de ser uma classe maior nesse desafio”. Meyer disse. “e uma atenção impressionante aos detalhes e a qualidade fazem-no parecer mais caro também”

Do que eles gostaram

Divertido de dirigir:  “O Civic parece grudar no chão em curvas, te apressando em ir mais rápido em lugares onde outros compactos de imploram pra pegar leve” disse Hanley. Os juízes concordaram que mesmo o CVT, geralmente uma droga no quesito diversão, não prejudicou a diversão. “CVT’s são um comprimido azedo, porem o Honda deixou-os mais fácil de engolir. De um tapa no gás e o Civic estoura para maiores velocidades, com a agilidade de um sistema automático passando uma ou duas marchas. Parece francamente convencional” afirmou Mays.

Espaço: Os juízes apreciaram o espaço entre os bancos frontais, parecendo até uma van. “O console inteligente tem espaço mais baixo escondido com potência em conectividade para aparelhos com passagem para níveis superiores. E você pode configurar o grande console conforme a necessidade para copos e aparelhos, ou até mesmo, nós descobrimos, para esconder uma bolsa de tamanho médio” disse Meier.

Qualidade Interior: Qualidade e estilo separaram o interior do Civic do resto. “O conjunto de instrumentos digitais brilhantes e coloridos – o único nessa lista – foi um toque de luxo” Meier disse. “O interior preto e marfim tem um visual luxuoso e da uma sensação de qualidade para a classe”.

Valor: O preço mais o equipamento provido é uma combinação vencedora para o J.D. O grupo de itens de conveniência e segurança no Civic, pelo preço que foi cobrado, deixou-o impressionado. “Se você falasse para seus amigos que você gastou $23.000 nesse carro, eles pensariam que você fez um negócio maravilhoso”, disse ele.

Do que eles não gostaram

Controle de mídia: O sistema de multimídia do Civic tem uma das notas mais baixas, não só por conta do que faltou por dentro, como o Apple CarPlay ou o Android Auto, porem pelo que faltou do lado de fora. “Em guarnições mais altos, a Honda trocou os botões de volume e sintonização por painéis sensíveis ao toque – um ‘avanço’ tão enervante que me faz recomendar os níveis menos que ainda tem controles físicos” constatou Mays.

Sistemas de aviso ativos de mais:  Os sistemas de segurança inclusos não vieram sem os seus incômodos, segundo Hanley: “O sistema de alerta de colisão frontal soa regularmente avisos desnecessários quando o carro está reduzindo para uma parada”

Espaço: “Alguns motoristas podem querer mais possibilidades no assento. Eu gosto de sentar alto e eu precisava deslizar quase o banco todo para trás para poder acomodar meu espaço de 1,82m” afirmou Mays.

Como foram os competidores em cada categoria

Como nos testamos.

Nosso teste de uma semana se deu 20 milhas ao noroeste de Austin, Texas, em Lakeway, o que nos deixou em rodovias e estradas secundarias cheias de curvas e mudanças de elevação. Os juízes dirigiram cada carro no mesmo loop para comparar imrepssoes e nós levamos todos os oito sedans em um loop de 169 milhas em economia de combustível para testar a milhagem de combustível no mundo real. O casal do mercado – ambos donos de compactos – juntaram-se a nós para avaliar os sedans e suas notas contribuíram para determinar o ganhador geral.

Outra faceta desse teste inclui pontos premiados aos carros, caso esses viesse equipados com tecnologias de prevenção ao acidente, incluindo aviso de colisão frontal com freio automático de emergência, aviso de ponto cego, aviso de saída da pista, direção de saída da pista e centralizador de pista. Aqui estão as notas de cada um:

A pontuação ficou da seguinte forma:

  • 69 por cento de nota dos juízes
  • 11 por cento de nota dos compradores
  • 10 por cento da direção de milhagem

10 por cento dos sistemas de prevenção ao acidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *